Palestra "Avaliação da Tolerância de Estirpes Synechocystis Selvagem e Mutantes ao Etanol por Citometria de Fluxo"

A Palestra realiza-se no dia 11 de outubro de 2018, no auditório do Edifício Solar XXI, Campus do Lumiar.

Oradoras: Teresa Lopes da Silva e Paula Passarinho

Resumo:

O presente trabalho foi realizado no âmbito do projeto Europeu DEMA (Direct Ethanol from Microalgae), que teve por objetivo a produção de bioetanol por via autotrófica, utilizando estirpes da cianobatéria Synechocystis PCC 8063.  Utilizou-se a  citometria de fluxo para avaliar a tolerância ao etanol de estirpes  recombinantes dessa cianobactéria,  comparando o seu comportamento com o da estirpe selvagem.  Os recombinantes UL 004 e UL 030 foram construídos tendo em vista o desenvolvimento de um processo economicamente competitivo para a produção direta de bioetanol a partir de microalgas. Concluiu-se que a estirpe mutante  Synechocystis UL 030 contendo duas cópias dos genes por genoma é a  mais tolerante ao etanol. No entanto, para implementar um processo de produção de bioetanol usando esta estirpe  recombinante, o produto deverá ser extraído continuamente do meio de cultura a fim de  evitar danos nas células, pois estas são particularmente sensíveis a concentrações superiores a 15g/L de bioetanol.  Os  resultados apresentados nesta palestra  foram importantes na definição do limite máximo da concentração de etanol permitido no meio de cultura, de forma a obter-se o máximo rendimento neste produto.

Notas biográficas:

Maria Teresa Saraiva Lopes da Silva é licenciada em Engenharia Química pelo Instituto Superior Técnico, mestre em Biotecnologia pelo Instituto Superior Técnico, doutorada em Química pela Universidade de Évora, e realizou o pós-doutoramento no Departamento de Engenharia Química da Universidade de Birmingham (RU). Atualmente é Investigadora Auxiliar da Unidade de Bioenergia do LNEG. Participa em atividades que visam o desenvolvimento de biorefinarias para produção de biocombustíveis e produtos de alto valor acrescentando. Utiliza a técnica da citometria de fluxo para a monitorização e otimização de bioprocessos.

Paula Passarinho é licenciada em Química pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, e com mestrado e doutoramento em Biotecnologia pelo Instituto Superior Técnico. É atualmente Investigadora Auxiliar da Unidade de Bioenergia do LNEG e tem desenvolvido trabalho no domínio da produção de biocombustíveis líquidos com recurso a matérias-primas não-convencionais, incluindo a valorização destas num conceito sustentável de biorrefinaria. Tem participado em vários projetos nacionais e internacionais bem como em contratos de AT&T com a indústria.

Inscrições:

As inscrições são gratuitas mas sujeitas a confirmação. Inscreva-se aqui.

Destinatários:

Investigadores, Técnicos e Público em geral.

Data e hora:

11 de outubro de 2018 às 11:00h.

Localização

Pesquisar nesta área