LNEG, o assumir de um compromisso com o Planeta

Teresa Ponce de Leão, presidente do LNEG, fala sobre o Compromisso para o Crescimento Verde em entrevista à revista Pontos de Vista.

Professora Teresa Ponce de Leão

Desenvolvimento sustentável e responsabilidade ecológica são dois conceitos de que se fala cada vez mais e é premente atuar no sentido de os fazer valer. O Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG) é o exemplo de que as entidades já trabalham no sentido de ajudar a criar um planeta mais ‘saudável’.

O Laboratório Nacional de Energia e Geologia é um organismo que responde às necessidades não só da sociedade mas também das empresas no que diz respeito à inovação tecnológica. Que tipo de serviços e produtos tem o LNEG para oferecer quando é procurado?

Tem uma vasta oferta para a sociedade. Os laboratórios acreditados oferecem serviços para apoiar o setor industrial na mitigação dos riscos dos projetos e na avaliação técnico económica dos recursos. Profundo conhecedor das estratégias para os recursos renováveis e geológicos, tem apoiado o investimento nestas áreas e tem ajudado a exportar conhecimento para projetos nos vários Continentes.

O LNEG tenta criar uma ponte entre a inovação tecnológica e a responsabilidade ecológica. É uma tarefa fácil numa sociedade cada vez tecnológica?

É uma oportunidade e fazemo-lo com muito empenho. A responsabilidade ecológica é uma postura que caracteriza o universo LNEG, que olha para a tecnologia de forma inovadora aplicando-a ao serviço das melhores práticas. O LNEG estrategicamente orienta a sua atividade para o desenvolvimento sustentável assente no menor consumo de recursos naturais e energéticos.

Sendo uma instituição do Ministério do Ambiente, o LNEG também trabalha com projetos governamentais. Podemos dizer que o Estado mostra a preocupação necessária por usar métodos de trabalho mais ecológicos? 
O LNEG é um instituto de investigação aplicada que orienta a sua estratégia alinhando-a com os programas europeus e da OCDE. É neste pressuposto que criamos conhecimento para apoiar o governo a transferir diretivas para o direito nacional e ajudamos o setor empresarial a criar mais valia com projetos ajustados aos novos enquadramento legais.

O Compromisso para o Crescimento Verde é uma importante iniciativa do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, em colaboração com a Parceria Portuguesa da Água (PPA) e o IST-CEHIDRO. Que comentário merece este género de iniciativas e qual a importância que o mesmo aporta para Portugal? 

A aposta de colaboração em rede é a forma de aproveitar sinergias entre os diferentes parceiros e fazer mais do que poderia ser feito individualmente.

Esteve também presente na Sessão Pública de apresentação da Proposta de Compromisso para o Crescimento Verde. De quer forma pode o LNEG intervir no domínio do desiderato do Compromisso para o Crescimento Verde? Em que moldes e através de que iniciativas?

O Compromisso assenta em dez pilares, sete dos quais - água, resíduos, energia, indústria extrativa, cidades e território, mar e turismo - o LNEG investiga, desenvolvendo novos produtos. Depende ainda de catalisadores como a promoção da internacionalização, informação e inovação, setores onde o LNEG aposta.

Sente que nos últimos anos se tem assistido a uma crescente consciencialização, por parte dos agentes económicos e dos políticos, relativamente ao potencial das relações de sinergia entre crescimento económico e sustentabilidade e à afirmação de opções estratégicas onde a componente verde é uma realidade material das prioridades de crescimento económico?

Na Cimeira para o Clima de Lima, Portugal foi considerado, pela ONU, CE, Banco Mundial e Instituto Global para o Crescimento Verde, um país modelo. Isto foi o resultado das políticas com vista ao compromisso para o crescimento verde. Portugal atingiu 62% de utilização de fontes energéticas renováveis na eletricidade e o nível mais baixo de dependência energética do exterior dos últimos 20 anos. Tudo isto são condições criadas pelo governo para que se possa, com segurança, investir na economia verde.

Acredita que este Compromisso para o Crescimento Verde pode posicionar Portugal como uma das principais referências mundiais do crescimento verde?

Não só acredito como acho que já é um facto. Portugal ocupa, entre 125 países, o 10.º lugar, no Índice para o Desempenho Global na Área da Energia 2015, do Fórum Económico Mundial. 
 


In www.pontosdevista.pt a 16 de fevereiro de 2015.

Pesquisar nesta área