O H2020 e as infraestruturas de investigação

Teresa Ponce de Leão, em entrevista ao Jornal Água&Ambiente, fala sobre a importância das infraestuturas de investigação no contexto da European Research Area e do Horizon 2020

Teresa Ponce de Leão

As infraestruturas de investigação são um instrumento criado pela Comissão Europeia com a missão primeira de apoiar a excelência científica. São peça central da European Research Area e do Horizon 2020. Mas o que são estas infraestruturas?

Em primeiro lugar um instrumento de partilha que oferece serviços de investigação aos utilizadores dos diferentes países, atraem jovens para a ciência e contribuem para o moldar de comunidades científicas. Apostam na partilha de ativos para apoio aos diferentes intervenientes na cadeia da inovação.

Numa europa em que os recursos devem ser responsavelmente utilizados e que ambiciona competir com as sociedades cujo produto da investigação tem rentabilidade elevada temos que fazer diferente, colmatando lacunas através da aplicação/utilização inteligente dos nossos ativos de investigação, criando novos ambientes de investigação onde o acesso a ativos únicos de investigação é partilhado.

Quando se fala de infraestruturas referimo-nos a Laboratórios, recursos e serviços associados. As RI estão no centro do triângulo do conhecimento, investigação, educação e inovação, produzindo conhecimento pela investigação, difundindo-o pela educação e aplicando-a pela inovação.

Há diferentes tipos de RI usadas pela comunidade científica, transversais a todas as áreas da ciência desde as ciências sociais até à astronomia passando pela genómica até às nanotecnologias. Os exmplos incluem instalações, coleções, bibliotecas, bases de dados, etc.

Em segundo lugar uma oportunidade de potenciação de um historial de trabalho comum inovador e criativo também neste domínio das infraestruturas. Este potencial agora construído necessita assegurar sustentabilidade e em particular atrair e comprometer a indústria com estas novas oportunidades.

Mas como potenciar estas infraestruturas?

A Europa lançou recentemente chamadas a candidatos às Infraestruturas de Investigação. Portugal candidatou-se e publicou recentemente o seu roadmap com os projetos aprovados. O Roadmap é um bom instrumento pois alertando para a necessidade e oportunidade de partilha de equipamentos, de software, de bases de dados, divulgando a existência de cada uma e evitando a re-invenção da roda.

Cabe agora à comunidade científica construir sistemas sustentáveis para a organização deste valioso sistema. A garantia de vida a longo-prazo só será possível com modelos de negócio adequado que permitam o financiamento destas estruturas que, via uma oferta irrecusável ao setor do estado e privado, as viabilizam através da remuneração adequada dos seus serviços.

As infraestruras europeias/nacionais são um exemplo de alteração de mentalidade. Este sentimento de necessidade de partilha tem que passar a estar no âmago dos decisores/interventores nestas matérias. Cada um de nós enquanto investigador, os dirigentes, os governantes têm que interiorizar que a partilhar de forma organizada poderemos multiplicar os resultados de que a Europa tanto precisa.
 


Jornal Água&Ambiente, maio de 2015

Pesquisar nesta área