LNEG realiza ensaios de comissionamento de Central de Ciclo Combinado em Angola

A participação do LNEG, nesta actividade de assistência técnica e tecnológica, é assegurada por uma equipa multidisciplinar, que integra técnicos de várias Unidades de Investigação desta Instituição.


Com a conclusão da Central de Ciclo Combinado da Refinaria de Luanda (CCRL - Sonangol), o LNEG foi convidado pela Efacec – Engenharia de Sistemas, SA, na qualidade de Entidade Independente, para proceder à elaboração de diversos procedimentos de ensaio, dedicados à verificação de valores garantidos e de valores expectáveis contratualizados entre as partes. Os ensaios de comissionamento, cuja coordenação será assegurada pelo LNEG, decorrerão no terreno em dezembro próximo, na presença de todas as empresas intervenientes, onde se incluem a Sonangol, General Electrics, Siemens, Ambitermo e Technoedif, para além da própria Efacec.

A participação do LNEG, nesta actividade de assistência técnica e tecnológica, é assegurada por uma equipa multidisciplinar, que integra técnicos de várias unidades de investigação e áreas de competência, nomeadamente: a avaliação de ciclos termodinâmicos em centrais de produção termoeléctrica; a análise de desempenho energético; a monitorização de sistemas de potência de energia eléctrica; a caracterização de emissões gasosas; a determinação dos níveis de potência sonora.

A central de ciclo combinado da Sonangol é constituída por duas turbinas de ciclo Brayton, da General Electric, duas caldeiras de recuperação (com 19,5 t/h de produção unitária de vapor) e uma turbina de condensação, da Siemens, com um total de potência instalada de 24,9 MWe.

A central ocupa uma área de 10.750 m2 e vai permitir ultrapassar os constrangimentos com o fornecimento de energia eléctrica existentes na refinaria. A CCRL, para além de produzir energia eléctrica para os trabalhos de refinação e injectar na rede eléctrica angolana o excedente produzido, tem também a capacidade de fornecer vapor à unidade industrial através de extracção de vapor na turbina para processo.

A CCRL inclui uma subestação eléctrica (63/11kV) assim como todos os sistemas auxiliares necessários, como armazenagem de combustível, sistemas de alimentação, sistemas de arrefecimento de água, sistemas de dosagem química, sistemas de ar e azoto ou protecção contra incêndios.

Com a entrada em serviço da CCRL e com o aumento da capacidade e flexibilidade de armazenagem, a refinaria estima aumentar o processamento de petróleo bruto de cerca de 50.000 barris em 2014 para cerca de 65.000 barris por dia, ainda em 2015.

Pesquisar nesta área