Identificadas "centenas" de novas áreas de potencial extração mineira

O ministro da Geologia e Minas de Angola, Francisco Queiroz, anunciou que o levantamento em curso sobre o potencial mineiro do país permitiu identificar "centenas" de novas áreas com potencial para extração mineira, nomeadamente de ouro, ferro e cobre.

Em causa está o Plano Nacional de Geologia (Planageo), lançado em maio de 2014 e que visa a recolha de informação por via aérea e confirmada com análises em terra, sobre o potencial geológico angolano, permitindo atrair investimento internacional para o setor.

"Os dados processados e interpretados revelam resultados que podem constituir novidades científicas e informação importante do ponto de vista económico", anunciou o ministro Francisco Queiroz.

Na abertura do conselho consultivo alargado do Ministério da Geologia e Minas, quarta-feira, em Luanda, o governante disse que com este levantamento, ainda que de forma provisória, "salta à vista a identificação de 763 alvos", dos quais 138 foram classificados como "prioritários" para prospeção.

No final de 2015, o Planageo estava com 16 dos 22 blocos em que o país foi dividido já concluídos, representando então um cumprimento de 77% da fase dos levantamentos geofísicos por via aérea.

O projeto, avaliado em 405 milhões de dólares (358 milhões de euros) está a ser levado a cabo por três consórcios internacionais contratados, um dos quais integrando o Laboratório Nacional de Energia e Geologia português.

Estima-se que Angola, com um território de 1,2 milhões de quilómetros quadrados, terá potencial para produzir 38 dos 50 minérios mais procurados no mundo, nomeadamente ouro e ferro.

Com conclusão prevista para 2017, o Planageo envolve igualmente a construção de dois laboratórios regionais, no Lubango, província da Huíla, no sul do país, e em Saurimo, província da Lunda Sul, no interior norte de Angola, para tratamento e análise de amostras no âmbito deste levantamento do potencial mineiro angolano.

Prevê ainda um Laboratório Geoquímico Central em Luanda.
 


Fonte: www.noticiasaominuto.com a 28 de abril de 2016

Pesquisar nesta área