Em breve vai poder sentir-se mineiro em Aljustrel

Vai nascer um Parque Mineiro e irá permitir visitas a uma galeria subterrânea de uma das minas alentejanas.

Imagem de mun-aljustrel.pt - Mineiros

A mina e a sua envolvente é figura intrínseca do ADN e identidade aljustralense e este legado será preservado e valorizado no futuro Parque Mineiro e que englobará percursos, pontos de interesse e, a já referida, possibilidade de visita à galeria subterrânea de uma mina conhecida como Poço 30.

Num investimento total de cerca de 11 milhões de euros, a iniciativa é da Câmara de Aljustrel em parceria com a Empresa de Desenvolvimento Mineiro (EDM) – uma "holding" criada para fazer a recuperação ambiental das antigas áreas mineiras - e a Almina - Minas do Alentejo - concessionária atual das minas.

O Parque Mineiro terá uma área de 35 hectares e engloba antigas zonas mineiras já desativadas e que já foram reabilitadas a nível ambiental. De acordo com o autarca Nelson Brito, presidente da Câmara local, o objetivo é também recuperar e preservar a identidade mineira e dar um novo impulso turístico.

O Poço 30 está já a ser preparado e adaptado com tecnologia de modo a poder tornar-se um espaço de museu que permitirá que o visitante sinta na pele a dureza de ser mineiro, algo para o qual também contribuirá o centro de interpretação da arqueologia mineira e que completará o já existente Centro de Estudos Geológicos e Mineiros do Alentejo, do Laboratório Nacional de Energia e Geologia, inaugurado em 2018.

A exploração de metais em Aljustrel terá começado ainda em finais do 3º milénio a.C., durante a Idade do Cobre.

Fonte: www.tribunaalentejo.pt

Imagem de mun-aljustrel.pt

Pesquisar nesta área