150 mil euros para certificação de tecnologias solares térmicas

O Fundo Europeu para a Certificação Solar (SCF, na sigla em inglês) vai apoiar iniciativas de certificação, normalização e desenvolvimento de garantia de qualidade em tecnologias solares térmicas.

Até 16 de Janeiro estão abertas as candidaturas para a sexta call do SCF.

O orçamento indicativo disponível é de 150 mil euros, sendo que o montante final irá depender da relevância e qualidade das propostas submetidas. Para seleccionar que projectos conseguem o co-financiamento, foram definidos 13 tópicos prioritários, que incluem desde ensaios “round robin” no âmbito da nova norma ISO 9806:2013, à aplicação das regras da Solar Keymark Network e à implementação da certificação a nível global. Apesar de estarem definidas as prioridades, o Fundo admite ainda que possam ser escolhidas iniciativas noutros âmbitos. 

Desde a sua criação em 2010, o SCF já apoiou 50 projectos nesta área, num valor que chega aos 580 mil euros. O Fundo foi criado pela Solar Keymark Network, com o propósito de apoiar as actividades relacionadas com o desenvolvimento e promoção do programa de certificação Solar Keymark e com as normas relacionadas.

Recorde-se que a Solar Keymark é uma marca de certificação voluntária de terceiras-partes para produtos solares térmicos. O selo funciona como garantia de que o equipamento em causa está em conformidade com as normas europeias relevantes e que cumpre requisitos adicionais. Apesar de ser predominantemente usada na Europa, a Solar Keymark começa já a ser reconhecida no resto do mundo.

O rótulo foi desenvolvido pela ESTIF (European Solar Thermal Industry Federation) e pelo CEN (Comité Europeu de Normalização), em colaboração com os vários laboratórios europeus de ensaio e com o apoio da Comissão Europeia.

Em Portugal, existem dois laboratórios de teste certificados para a Solar Keymark – o LNEG (Laboratório Nacional de Energia e Geologia) e o CTCV (Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro Laboratório de Sistemas de Energia) — e uma entidade certificadora, a CERTIF.

O texto da call pode ser visto na íntegra aqui.
 


Fonte: www.edificioseenergia.pt | 27 de novembro de 2014

Pesquisar nesta área